O Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos - NPMCSC, que funciona na sede do Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região, em Campo Grande, passou por uma ampliação e recebeu uma sala administrativa que também será utilizada para realização de audiências.

De janeiro a abril deste ano, o Núcleo de Conciliação do 2º Grau já realizou 134 audiências, solucionando 71,64% dos processos por meio de acordos entre as partes. O valor conciliado foi de R$ 10.807.117,24.

Qualquer pessoa pode solicitar que o processo seja incluído na pauta de conciliação. Basta ligar para o telefone 3316-1755 e pedir o agendamento. "A conciliação é um dos pilares da Justiça do Trabalho. Nós temos, pelo nosso ordenamento jurídico, a necessidade obrigatória da conciliação em Primeiro Grau. Quando o juiz faz a audiência inaugural, ele tenta a proposta de conciliação. Não havendo êxito, o processo sobe para o Tribunal em grau de recurso. Por isso, nós implantamos esse Núcleo de Conciliação em Segundo Grau que visa justamente evitar que o processo tenha mais um recurso, subindo para o TST, e adiando a solução do conflito", esclarece o Vice-Presidente do TRT/MS, Desembargador Nicanor de Araújo Lima, que também é o coordenador do NPMCSC.

Na semana que vem, entre os dias 21 e 25 de junho, 29 processos entrarão em pauta no Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos do TRT/MS durante a 4ª Semana Nacional da Conciliação Trabalhista, uma iniciativa do Conselho Superior da Justiça do Trabalho.

O objetivo é implementar medidas para resolver os processos trabalhistas com maior celeridade e aprimorar os meios consensuais de resolução de conflito. Na Semana Nacional da Conciliação Trabalhista de 2017, a Justiça do Trabalho de Mato Grosso do Sul arrecadou R$ 8.248.913,21 em 402 acordos. Ao todo, 4.783 pessoas foram atendidas.

Com a participação dos 24 Tribunais Regionais do Trabalho, as três edições anteriores envolveram mais de R$ 1,8 bilhão, com 520 mil pessoas beneficiadas por meio de mais de 208 mil audiências.

Fonte: TRT 24