« Voltar

CSJT sedia encontro de equipes de desenvolvimento do PJe da Justiça do Trabalho





De 13 a 15 deste mês, servidores dos Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs), do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) que atuam no suporte e desenvolvimento do sistema Processo Judicial eletrônico 2.0 (PJe 2.0) se reúnem para aperfeiçoar conhecimentos na área. Haverá apresentações de conteúdo normativo, técnico, conceitual e prático, além da exibição de casos de sucesso.

O coordenador nacional do PJe e juiz auxiliar da Presidência do CSJT, Fabiano Pfeilsticker, ressaltou a importância de padronizar o conhecimento do sistema entre os TRTs. “Os servidores vêm ao CSJT para se capacitarem e reaprenderem a tecnologia do PJe 2.0”, disse o coordenador nacional do PJe. “É importante que essas informações retornem aos TRTs. Somos parte de pequenos grupos que compõem um só", enfatizou. Segundo Pfeilsticker, o sucesso da nova versão depende do correto desenvolvimento do programa, observando o que foi estabelecido, como as regras de segurança e acessibilidade.

O secretário de Tecnologia da Informação e Comunicação do CSJT, Claudio Feijó, explicou que o encontro propicia o cumprimento da exigência contida na Resolução 185/2017 do CSJT. "Ela prevê que se criem oportunidades de aperfeiçoar as práticas de gestão e tecnologias do PJe", observou. Feijó ainda destacou a apresentação do guia de desenvolvimento recomendado e as boas práticas durante o evento.

O evento da coordenadoria Técnica do Processo Judicial Eletrônico (CTPJe) ajudará no aprimoramento da comunicação das equipes de desenvolvimento dos TRTs. De acordo com o coordenador substituto do CTPJe, Daniel Souto Rocha, o intercâmbio entre os técnicos é extremamente importante para a excelência do sistema. "Essas trocas colaboram para a evolução do sistema de forma eficaz e ágil", disse.

Rocha lembra que será dada prioridade a aspectos associados à qualidade no desenvolvimento de software. "Serão abordados vários temas, tais como: testes, acessibilidade, aderência a padrões de desenvolvimento de software, monitoramento de incidentes, dentre outros", enumerou.

(NV/RT/GR – Divisão de Comunicação do CSJT)

Divisão de Comunicação do CSJT
Esta matéria tem caráter informativo, sem cunho oficial.
É permitida a reprodução mediante citação da fonte.
(61) 3043-4907