Publicador de ativo
« Voltar

CSJT realiza pesquisa sobre a qualidade de uso do PJe


O Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) lança nesta segunda-feira, 30, a 4ª pesquisa para avaliar a qualidade no uso do Processo Judicial eletrônico (PJe) instalado na Justiça do Trabalho. Nessa edição, o público alvo da pesquisa são os magistrados e servidores, membros e servidores do Ministério Público do Trabalho e, novamente, os advogados.

Após a conclusão do estudo, a Coordenação Nacional do PJe traçará um comparativo entre os dados das pesquisas anteriores, realizadas desde 2014. O objetivo é avaliar e melhorar a estratégia de evolução do Sistema PJe, agora que o sistema está implantado em 100% das Varas do Trabalho.

Essa pesquisa tem um novo formato de avaliação, o que a torna mais intuitiva para os usuários. A revisão foi proposta e aprovada pelos membros do Comitê Nacional do PJe. De acordo com o coordenador nacional do PJe, juiz auxiliar da presidência do TST e do CSJT, Fabiano Coelho de Souza. "A pesquisa é fundamental para entender a percepção do usuário. A nossa decisão de investir no PJe 2.0, por exemplo, teve origem na pesquisa de 2016, que apontava a necessidade de tornar o sistema mais rápido", destaca.

O secretário de Tecnologia da Informação e Comunicação do CSJT, Cláudio Fontes Feijó, ressalta ainda que, além desses benefícios para as áreas gestoras, o levantamento da satisfação de usuários com sistemas de informação está em consonância com a “Dimensão Público Alvo” do Modelo de Excelência em Gestão Pública (GESPÚBLICA), que preconiza a consulta/pesquisa sobre a percepção e expectativas sociais a respeito da qualidade e eficácia dos serviços prestados, como instrumento para subsidiar a definição dos seus padrões de qualidade.

 

O formulário da pesquisa estará disponível em meio eletrônico até o dia 10 de dezembro e poderá ser acessado a partir do e-mail enviado para as caixas postais dos usuários.

(Gabriel Reis/)

Divisão de Comunicação do CSJT
Esta matéria tem caráter informativo, sem cunho oficial.
É permitida a reprodução mediante citação da fonte.
(61) 3043-4907