Menu de Navegação

Notícias

null CNJ lança a publicação de um ano de Justiça 4.0

O CSJT é uma das cortes apoiadoras do Programa, junto com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), do Superior Tribunal de Justiça (STJ)

O Conselho Nacional de Justiça lançou, nesta terça-feira (01/01), a publicação de um ano de Justiça 4.0 com os resultados e avanços do programa que vem transformando o Judiciário brasileiro com inovação e tecnologia. O objetivo do Programa, que completou um ano em janeiro, é tornar a prestação de serviços de Justiça mais eficiente, eficaz e acessível à sociedade, otimizando a gestão processual.

Avanços

O Programa, que proporcionou diversos avanços na agenda de transformação digital do Judiciário, está integrando os tribunais de todo o país. Um exemplo foi o saneamento da Base Nacional de Dados do Poder Judiciário (DataJud), que permitiu detectar e corrigir inconsistências nas informações recebidas dos tribunais, além de ter fornecido uma Interface de Programação de Aplicação (API) para que eles tenham acesso aos dados na íntegra.

Iniciativas

Outra iniciativa foi a realização do diagnóstico da realidade tecnológica em 88 tribunais. Esse mapeamento norteou a elaboração de planos de ação para a integração de cada órgão ao Programa e à Plataforma Digital do Poder Judiciário, também criada pelo Justiça 4.0. As equipes vêm recebendo apoio técnico e capacitações para implementar a Plataforma.

Também foram desenvolvidos três modelos de inteligência artificial, com acurácia acima de 85%, que agilizam o preenchimento automatizado de dados de um processo judicial, de acordo com o tipo de documento. Já a solução em implementação, o Codex, fornece dados estruturados e conteúdo textual de documentos em um grande repositório que poderá ser usado tanto em modelos de inteligência artificial quanto para o fornecimento de evidências e o apoio à formulação de políticas judiciárias.

Adesão

O Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) é uma das cortes apoiadoras do Programa, junto com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Além dessas cortes, o programa conta com a parceria do  Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e Conselho da Justiça Federal (CJF).

Saiba mais em: Justiça 4.0 completa um ano com avanços na inovação tecnológica do Judiciário

Rodapé Responsável DCCSJT