Notícias

Voltar Concurso Nacional da Magistratura Trabalhista: candidatos (as) realizaram exame psicotécnico neste domingo (4)

Os testes fazem parte da terceira fase do 2º Concurso Nacional da Magistratura do Trabalho.

A avaliação psicológica faz parte da terceira fase do certame.

A avaliação psicológica faz parte da terceira fase do certame.

4/2/2024 -  Os candidatos e candidatas aprovados(as) nas provas escritas (discursiva e de sentença) do 2º Concurso Nacional da Magistratura do Trabalho realizaram,  neste domingo (4), exame psicotécnico. A avaliação psicológica faz parte da terceira fase do certame.

Além do exame psicotécnico, essa fase também inclui inscrição definitiva, sindicância da vida pregressa e investigação social, exame de sanidade física e mental, além das avaliações das comissões de heteroidentificação e multiprofisssional, para os candidatos (as) que se autodeclararam negros e pessoa com deficiência, respectivamente.

Atendimento especial

Dos 244 candidatos (as) aptos (as) a realizarem o exame, 240 compareceram ao local de aplicação, que foi realizado em Brasília. Apenas uma candidata foi autorizada a realizar a avaliação psicológica em Salvador, por estar com 39 semanas de gravidez e não possuir condições clínicas de realizar uma viagem à capital federal. O edital do concurso prevê atendimento especial para mulheres, como lactantes que precisam amamentar o filho ou filha durante a prova. 

Dessa forma, considerando a situação excepcional e a impossibilidade de deslocamento da candidata pelo estágio avançado de gravidez, a Comissão Executiva Nacional acolheu o pedido e autorizou o atendimento especial, após contactar o serviço médico do Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região (BA), além de consultar as regras das companhias aéreas para o embarque de gestante com idade gestacional superior a 39 semanas. 

A Comissão Executiva Nacional deferiu, também, os pedidos apresentados por outras candidatas gestantes para realizar os exames de sanidade física em data próxima à realização da avaliação psicológica, para o deslocamento único à Brasília.

Também foi levado em consideração a decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em outubro do ano passado, que determinou nova data de prova à gestante candidata em concurso público em condição semelhante.

Próximas etapas

Quem for aprovado(a) nessa fase será convocado(a) para a quarta etapa do concurso, que consiste na prova oral. As avaliações serão aplicadas no edifício-sede do Tribunal Superior do Trabalho em abril e maio. Cada examinador(a) disporá de até 15 (quinze) minutos para a arguição do(a) candidato(a), atribuindo-lhe nota na escala de 0 (zero) a 10 (dez).

Os (as) aprovados (as) na prova oral passam para a quinta e última fase do concurso, que fará a avaliação de títulos.

O concurso

Promovido pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), o certame é destinado ao provimento de 300 cargos vagos de juíza ou juiz do Trabalho substituto(a) para atuarem nos Tribunais Regionais do Trabalho e nas Varas do Trabalho do país. A coordenação é da Comissão Executiva Nacional, com assistência das Comissões Examinadoras responsáveis por elaborar e corrigir as provas.

O certame também conta com a adesão dos 24 TRTs e a assessoria da Fundação Getulio Vargas (FGV) na aplicação das provas e na prestação de serviços técnicos especializados.

Saiba mais na página do Concurso Nacional Unificado da Justiça do Trabalho.

(Secom/TST)

Rodapé Responsável DCCSJT